terça-feira, 14 de junho de 2011

Resenha - O Milagre (Nicholas Sparks)


Nicholas Sparks conhecido pelos romances "água com açúcar" que tanto gosto como Amor para recordar, escreveu O Milagre e me deixou intrigada com a história até conseguir lê-la por completo.

O livro conta a história de Jeremy Marsh, um jornalista nova-iorquino de 37 anos, que desvenda mistérios de "lendas urbanas" e desmascara vigaristas um tanto "além do normal" (para não dizer supostos paranornais), é freelancer e teve seu casamento dissolvido como um fantasma...

Na história, na tentativa de desvendar um destes mistérios, entrando no auge de sua carreira, ele dirige-se até uma pequena cidade do interior do país e descobre muitas questões sobre os mistérios do cemitério local (motivo de sua ida até a cidadezinha), além de algumas outras questões pessoais também. Como não poderia deixar de ser, no lugarejo ele conhece uma moça que também tem lá seus mistérios e sofrimentos (assim como ele próprio), a bibliotecária Lexie Darnell.

Num enredo que intriga, cria suspense e, justamente por isso, aguça a curiosidade, Sparks vai aos poucos desvendando situações da vida dos protagonistas que a mim, particularmente, me emocionaram e também me encantaram.

A exemplo de outros títulos, o autor tem uma escrita leve que permite o deleite sem grandes trasntornos ou dificuldade. Ótimo para aquelas pessoas que trabalham muito e possuem uma alta carga de raciocínio. Descansa e relaxa!

Apenas duas coisas percebi como "pequenas falhas": a nova capa traz uma moça loira e pela descrição da personagem, Lexie tem cabelos escuros. Além disso, na página 95 ele diz "E, é claro, havia Lexie. Lexie qualquer-que-fosse-seu-sobrenome" como se não soubesse o nome da família dela... no entanto, na página 66 quando ela se apresenta, ela comenta que Lex é a forma abreviada de Lexie. "Lexie Darnell".

Alguns críticos poderiam dizer também que o título não tem muito a ver com a história. Eu diria que pode parecer que não, mas vale muito à pena lê-lo e descobrir o real motivo de esta obra se chamar "O Milagre".

KA²

domingo, 5 de junho de 2011

Fé nas tribulações

Em verdade, em verdade vos digo: haveis de lamentar e chorar, mas o mundo se há de alegrar. E haveis de estar tristes, mas a vossa tristeza se há de transformar em alegria. Quando a mulher está para dar à luz, sofre porque veio a sua hora. Mas, depois que deu à luz a criança, já não se lembra da aflição, por causa da alegria que sente de haver nascido um homem no mundo. Assim também vós: sem dúvida, agora estais tristes, mas hei de ver-vos outra vez, e o vosso coração se alegrará e ninguém vos tirará a vossa alegria. [...]
Em verdade, em verdade vos digo: o que pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo dará. [...] Pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja perfeita. [...]
Referi-vos essas coisas para que tenhais a paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo. (João 16, 20-22; 23-24; 33)

É comum sentirmo-nos cansados, sem forças com as adversidades que nos chegam de inúmeros lados: pessoal, financeiro, profissional, afetivo, físico... É comum, mas não é o ideal.

Afinal, o próprio Jesus adiantou-nos que não seria fácil, Ele próprio nos disse que, em alguns momentos, choraríamos enquanto o mundo se alegraria! Porém, Ele também nos disse que nossa tristeza por possuir dores e problemas se transformará em alegrias!!! Do mesmo modo que uma mãe sente dores para receber aquele que mais ama, nós também sofreremos até que o que há de melhor para nós se aproxime.

Eu não sei, meu irmão, minha irmã, quais as tribulações que você tem vivido: talvez seu filho esteja se rebelando, ou quem sabe seus pais se desentendendo, de repente seu coração está completamente partido, você se sente rejeitado(a), sente-se inferior, não encontra para si um lugar no mundo, um lugar entre as pessoas que convive, um lugar no coração de alguém que você ame (um amigo, uma amiga, um familiar, um rapaz, uma moça, seu pai, sua mãe).

Não sei se você passa por uma situação de doenças: físicas, espirituais, psicológicas... Talvez alguém que você ame incondicionalmente esteja gravemente doente, talvez você esteja com uma doença incurável (para a medicina). De repente, suas contas são tão altas que você não consegue visualizar como pagar todas. Ou quem sabe, está desempregado, com um amigo, um filho, um pai envolvido com entorpecentes. Depressão, solidão, obesidade mórbida, anorexia, AIDS, câncer, síndrome do pânico.

Sinceramente, não sei o que se passa com você! Todavia, de uma coisa eu tenho certeza: agora você pode estar sendo provado(a) na fé, mas tudo isso irá passar e você terá sua vida completamente transformada! E nada irá tirar de você o que Jesus tem preparado: a alegria verdadeira. Você será tão feliz que nada, nem ninguém tirará de você o que sentirá: alegria, fé, amor!

 Por isso, siga o conselho de Jesus: peça!!! Use o nome dEle. Ele autorizou (e avisou). O que pedirmos em nome dEle, nos será concedido. Peça! E sua graça virá. Talvez não exatamento do jeito que você pediu, mas, com toda certeza, muito melhor do que você poderia imaginar! Porque ao usar o nome de Jesus, Ele mesmo se encarregará de providenciar o que lhe aprouver, o que for mais apropriado.
Somos irmãos de Jesus.

Assim como Ele temos e teremos aflições por algum tempo, contudo, não devemos temer, porque Ele JÁ venceu o mundo! E, automaticamente, nós também vencemos. Nós JÁ somos vencedores em Jesus. Nada, ninguém, nenhuma situação tirará o que já nos foi dado: a vitória em Jesus. Basta sabermos orar, pedir e esperar pelo tempo da colheita de bênçãos.

Ter fé no tempo da bonança é fácil Até o incrédulos têm! Difícil é humanamente não se ver soluções plausíveis ou fáceis, mas ter certeza que elas já estão preparadas por um Deus que nos ama, nos cuida e não nos desamparará (mesmo que humano algum acredite nisso, você  precisa acreditar).

Se você ainda não recebeu tudo o que deseja e espera, use o que você tem: o amor e a fé. Pois eles não se acabarão, muito pelo contrário, quanto mais você amar, mais amor nascerá em seu coração; quanto mais fé tiver nas situações difíceis que vivencia, mais sua fé se fortalecerá. E com mais amor no peito e mais fé na alma, você será mais forte, mais feliz.

Amo você em Cristo! Ore. Ame. Espere.
Estarei aqui, orando, amando, esperando também.
KA²

sábado, 4 de junho de 2011

Um defeito na mulher!

Recebi por e-mail este verdadeiro e tocante texto:

Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de trabalho, fazendo horas extras.
Um anjo apareceu e Lhe disse: "Por que leva tanto tempo nisto?"
E o Senhor respondeu: "Já viu a minha ficha de especificações para ela? 
 Deve ser completamente lavável, mas sem  ser de plástico, ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que possa acomodar quatro crianças ao mesmo tempo, ter um beijo que possa curar desde um joelho arranhado até um coração partido e fará tudo isso somente com duas mãos".
O anjo se maravilhou com as especificações: "somente duas mãos... impossível!". E este é somente o modelo básico?
É muito trabalho  para um dia... Espere até amanhã para terminá-la".

"Isso não", protestou o Senhor. "Estou tão perto de terminar esta criação que é favorita de Meu próprio coração. Ela se cura sozinha quando está doente e
pode trabalhar jornadas de 18 horas". O anjo se aproximou mais e tocou a mulher.

"Mas o Senhor a fez tão suave..."

"É suave", disse Deus, "mas a fiz também forte. Você não tem idéia do que pode agüentar ou conseguir".
 
"Será capaz de pensar?", perguntou o  anjo.

Deus respondeu:
"Não somente será capaz  de pensar, como também de raciocinar e de negociar".

O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a bochecha da  mulher....
"Senhor, parece que este modelo tem um vazamento...
Eu Lhe disse que estava colocando muita coisa nela..."

"Isso não é nenhum vazamento... é uma lágrima", corrigindo-o  o Senhor.

"Para que serve a lágrima?", perguntou o anjo.

E Deus disse:
"As lágrimas são sua maneira de expressar 
seu destino, sua pena, seu desengano, seu amor, sua  solidão, seu sofrimento, e seu orgulho".
 
Isso impressionou muito ao anjo: "o Senhor é um gênio, pensou em tudo. A mulher é,
verdadeiramente, maravilhosa!!!".

"Sim é! A mulher tem forças que maravilham aos homens.
Aguentam dificuldades, levam  grandes cargas, mas têm felicidade,  amor e  alegria.
Sorriem quando querem gritar.
Cantam  quando querem chorar. 
Choram quando estão  felizes e riem quando estão nervosas. Lutam pelo que creem.
Enfrentam à  injustiça.
Não aceitam 'não' como resposta quando
elas creem que há uma solução melhor.
Privam-se para que a sua família possa ter.
Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir.
Amam incondicionalmente. Choram quando seus filhos triunfam e se alegram
quando seus amigos ganham prêmios.
Ficam  felizes quando ouvem sobre um
nascimento ou um casamento.  
Seu coração se parte quando morre uma amiga.
Sofrem com a perda de um ente querido, 
entretanto são fortes quando pensam que já não
há mais forças.
Sabem que um beijo e um abraço
podem ajudar a curar um coração partido.
 Entretanto, há um defeito na mulher:

É que ela se esquece o quanto vale".

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Livro didático do Governo?


Tanto tem se discutido a respeito do livro didático distribuído pelo Governo Federal que um bate-papo com duas pessoas queridas nesta tarde me estimularam...

Em primeiro lugar, disponibilizo dois links com visões antagônicas a respeito do tema:

A matéria As lições do livro que desensina, publicado pela Revista Veja e o O manifesto das professoras de português veiculado no site de Luís Nassif (www.advivo.com.br).

Revista Veja - Língua Portuguesa - As lições do livro que desensina

Luís Nassif - O manifesto das professoras de português

Artigos lidos (e aqui poderíamos acrescentar outros...), partilho o que eu penso a respeito.

Penso que pode ter havido pela mídia um sensacionalismo para desmoralizar não apenas os pesquisadores ou professores, aliás, apesar do absurdo de dizerem que somos (nós professores) preguiçosos, acredito que o objetivo maior (dos meios de comunicação) fosse desmoralizar mesmo o Governo. Não sou petista e percebo essa agulhada às equipes do atual Poder Executivo.

No entanto, acredito também que as discussões acerca da variação linguística são pertinentes e necessárias nas escolas!!! Só não sei até que ponto o ideal é "didatizar" isso. É uma linha muito, muito tênue que merece olhar cuidadoso.

Ensinar a língua padrão não é difícil mesmo! Difícil se tornará mostrar a necessidade de se ensiná-la, se for "menosprezada", já que não é a "mais importante".

Sou muito a favor do respeito pelas variantes (eu mesma as uso cotidianamente, aliás, que bom falante não as usa?), mas a forma de como explorá-las que deve ser pensada com cautela. Vejo, portanto, dois lados: a mídia quis desmoralizar o governo e usou os professores e alguns pesquisadores para isso; as escolas e os professores de português, de fato, não devem ignorar as variações e falares, mas só não se deve, em vez de tentar igualar as possibilidades de uso da língua, dar tanta ênfase nas que não obedecem à norma, a ponto de menosprezar a padrão. Porque sendo assim, teríamos a inversão do preconceito linguístico: o desprezível seria falar de acordo com a língua culta...

Será que fiz-me entender (se é que o entendimento de minha opinião interferirá em alguma coisa!!!)? O que você pensa?